Eleições EUA:
impactos da eleição de Joe Biden no mundo

Por Andrey Nunes

Nas últimas semanas, o mundo todo esteve com a atenção voltada para a disputa entre o democrata Joe Biden e o republicano Donald Trump pelo principal cargo do poder executivo dos Estados Unidos. Após cinco (longos) dias de contagem dos votos dos eleitores estadunidenses, o mundo recebeu a notícia de que Joe Biden e Kamala Harris ocuparão a Casa Branca pelos próximos quatro anos sendo, respectivamente, os novos presidente e vice-presidente da maior potência do mundo.

Com o dia da votação dos delegados do Colégio Eleitoral, que irão oficializar a eleição de Biden e Harris, cada vez mais próximo (14 de dezembro), todos os países já se preparam para as mudanças que surgirão com os candidatos vencedores no poder. Como os dois políticos democratas possuem um discurso e um plano de governo muito diferentes do atual presidente republicano, o mundo definitivamente observará algumas alterações na política externa estadunidense, e como os Estados Unidos é um dos principais atores nas relações internacionais, analistas já estão observando alguns dos possíveis impactos que os governos de vários países vão sofrer com os novos líderes norte-americanos.

China

De acordo com John Sudworth, correspondente da BBC em Beijing, a eleição de Joe Biden pode ser uma ameaça à oportunidade da China de sobressair como a maior potência do mundo no futuro. Como Donald Trump adotava um discurso bastante protecionista – America First -, adotando uma política externa não tão cooperativa e retirando os Estados Unidos de vários tratados internacionais, o governo chinês via essa conduta como algo que poderia enfraquecer o poder estadunidense na política internacional. Com Joe Biden na Casa Branca, essa possibilidade já é mais improvável de acontecer, pois o democrata já prometeu que vai reparar as alianças dos Estados Unidos com vários países e adotar uma postura mais cooperativa, sendo um desafio a mais para as ambições do país asiático. Entretanto, a China pode encontrar vantagens na vontade de Biden em buscar cooperação para combater grandes problemáticas, como as questões ambientais.

Coreia do Norte

Apesar do início um pouco perturbado da relação entre Trump e Kim Jong-Un em que o presidente estadunidense afirmou, em 2018, no Twitter que ‘tem um botão nuclear muito maior’, em resposta ao discurso de Ano-Novo do ditador norte-coreano -, a Coreia do Norte e os Estados Unidos tiveram melhores relações diplomáticas com o passar do tempo, em comparação a períodos anteriores. Porém, com Biden no poder, esse quadro pode mudar. A jornalista Laura Bicker, correspondente da BBC em Seoul, afirma que é provável que Kim Jong-Un teria preferido mais quatro anos de Donald Trump como presidente. Mesmo com as sanções estadunidenses contra a ditadura norte-coreana, o país continuou a desenvolver seu programa nuclear durante o governo do político republicano. Agora, com Joe Biden, que já pediu à Coreia do Norte mostrar que está disposta a renunciar seus mísseis nucleares antes de ter reuniões com o líder norte-coreano, muitos analistas afirmam que os dois países podem ter atritos em suas relações novamente.

Brasil

Em nosso país, também podemos observar mudanças significantes na política externa após a eleição de Biden e Harris. Como o atual presidente Jair Bolsonaro ainda não reconheceu a vitória dos candidatos democratas, as relações entre Brasil e Estados Unidos estão incertas, porém, de acordo com Christopher da Cunha Bueno Garman (Diretor de América Latina da consultoria Eurasia Group) Joe Biden “não vai virar as costas ao Brasil devido à birra ideológica com Bolsonaro”. Apesar de um certo isolacionismo que o governo brasileiro pode sofrer a curto prazo, o Brasil pode observar benefícios econômicos a longo prazo. Entretanto, para isso ocorrer, será necessário que o Estado brasileiro adote uma postura mais pragmática nas relações internacionais e agir para solucionar inúmeros problemas ambientais do país, já que o governo dos democratas terá um grande foco na pauta ambientalista no mundo.

Esses são apenas alguns dos grandes impactos que o futuro governo de Joe Biden e Kamala Harris pode trazer para o cenário internacional. O mundo também pode observar os Estados Unidos tendo um grande papel na atuação para resolver a questão das mudanças climáticas, além de outras pautas relacionadas ao Oriente Médio. Mesmo que alguns desses cenários não ocorram, o governo dos democratas definitivamente será muito importante para a política internacional, tendo a atenção de todos no mundo durante os próximos quatro anos.

Encontre-nos nas redes sociais:

Deixe um comentário

http-interijr-com
Please wait...

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba notícias de comércio exterior; fique por dentro de tudo o que está acontecendo na Ínteri Jr. e receba oportunidades de carreira e investimentos no exterior.