2020: tendências no comércio diante ao novo coronavírus

Por Giovanna Savazo

Em março de 2020, a OMS declarou que a rápida expansão do novo corona vírus pelo mundo se configurava como uma pandemia. Todos os países tiveram que lidar e se adaptar a várias mudanças inesperadas, como economias desacelerando, fechamento de fronteiras e interrupção mandatória de inúmeros comércios. Tendo em vista o cenário internacional tão incerto, surge uma grande preocupação em empresários e funcionários dos mais diversos setores. O que fazer? Como adaptar minha empresa a essa nova realidade?

De forma que a retomada da economia no momento atual é algo sem previsão, torna-se necessário estar sempre atento ao rumo do comércio e se reconfigurar para um melhor desempenho de sua empresa. A seguir, serão listadas as principais tendências para este ano que está sendo tão avassalador.

E-commerce: é o comércio eletrônico. Esta forma de comércio tem crescido muito na época atual visto que a livre circulação de indivíduos na maioria dos locais está impossibilitada. Dessa forma, empresários que estavam pensando em introduzir este recurso em sua empresa tiveram que acelerar o processo para não ficarem para trás. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, o e-commerce cresceu 81% em abril de 2020, o que representa um aumento de 98% em relação ao mês de abril em 2019. Portanto, diante a pandemia, investir em e-commerce é um passo muito importante (que ainda poderá ser usado até mesmo quando a situação se estabilizar) e que pode faze a diferença dentro de sua empresa. 

Delivery: ato de entregar, transmitir ou distribuir. Outro efeito da pandemia é o aumento no serviço delivery. Por exemplo, a alternativa de pedir compras de supermercado por aplicativos sem ter que se expor se tornou uma realidade para 17% dos brasileiros, segundo o site Meios&Mensagens. Outro exemplo seria o aplicativo de entregas Rappi, que apresentou um aumento de 10% no volume de pedidos. Estudos apontam que o futuro do delivery é otimista, e que mesmo depois do isolamento social muitas pessoas vão continuar com esse costume aderido na quarentena. Dessa forma, investir em serviços delivery para a época da pandemia e visando o futuro é uma ótima oportunidade também. 

Home Office: seria um escritório em casa, trabalhar em casa. O trabalho remoto já é realidade em inúmeras empresas, sendo que foi a principal medida adotada para resistir à crise. Essa prática tende a ter impactos irreversíveis, segundo o estudo Tendências de Marketing e Tecnologia, que prevê um aumento em 30% no trabalho home office pós pandemia. Ainda, o site “Exame”  mostra que 1/3 das empresas no mundo adotarão o home office permanentemente pós pandemia, fato que trará consigo uma  reconfiguração nos modelos de trabalho (assim como já anda trazendo). Fica claro, que o home office é um dos principais exemplos que parece ter vindo para ficar.

Neste artigo foram apresentadas 3 das principais tendências sobre o rumo do comércio diante ao novo corona vírus. Vale ressaltar que muitas empresas apresentam esses serviços, porém de forma mal estruturada. Logo, a busca por uma consultoria que te oriente nesse momento é essencial. 

Se interessou pelo assunto? Quer mas dicas e informações sobre como melhorar o desempenho de sua empresa? Entre em contato com a Ínteri Jr. Ficaremos muito felizes em recebê-lo!

Encontre-nos nas redes sociais:

Deixe um comentário

http-interijr-com
Please wait...

Inscreva-se na nossa newsletter

Receba notícias de comércio exterior; fique por dentro de tudo o que está acontecendo na Ínteri Jr. e receba oportunidades de carreira e investimentos no exterior.